• Araraquara.com - O maior e melhor portal de informações e serviços da cidade e região

Comentário(s) - 16

Rudi Bauer e mais sete da chefia da Guarda Municipal são demitidos

Novo secretário de Segurança Pública já foi anunciado ontem; é José Antônio Spera

Alterar o tamanho da letra A+A-

Entrevista coletiva desta sexta-feira, na Prefeitura: Eli Schiavi, Marcelo Barbieri, Coronel Spera e Nino Mengatti (Foto: Deivide Leme)

O caso das câmeras de segurança criou um verdadeiro efeito dominó dentro da Secretaria de Segurança de Araraquara.

Após a saída do então secretário da pasta, Eli Schiavi, que alegou ser por motivos de saúde, o coordenador da Guarda Municipal, tenente Rudi Bauer, e o coordenador da Central de Monitoramento, Alexandre Pomponi, também deixaram os cargos.

Além deles, outros sete gestores — Carlos Augusto de Oliveira Morim, Marco Luís Paschoal, Danilo João de Oliveira Soler, Paulo César Gotardo Rodrigues, João Antonio Nunes Siqueira, Sandro Domingos do Amaral e Juliana Zaccaro — foram exonerados e perderam os cargos. Eles voltam a atuar como guardas na corporação.
“Eles saíram para que o novo secretário forme sua equipe. Minha saúde já estava prejudicada, depois desse caso ela piorou. Por isso, optei por sair da secretaria”, diz Eli Schiavi.

Novo secretário

O coronel José Antônio Spera foi anunciado como o novo secretário de Segurança Pública. Foi ele quem implantou o sistema de monitoramento de Araraquara em 2010, quando exercia o cargo de secretario da pasta.

“Este final de semana, passarei estudando e pensando os guardas que estarão operando o sistema. Vamos realizar as mudanças necessárias e punir o responsável pelas gravações”, diz.
Ainda segundo ele, a imagem da guarda esta “arranhada”. “Queremos recuperá-la, afinal, a maioria é de pessoas de bem, que não podem ser punidas pela atitude de dois ou três”, afirma Spera.

Durante coletiva à imprensa, o prefeito Marcelo Barbieri (PMDB) anunciou os membros da comissão de investigação. Será presidida pelo procurador Jeriel Biasioli e terá Ana Carolina Fernandes Leão Marques da Silva como primeiro membro e Edson Adalberto Alves como segundo membro. “Confiamos na boa conduta desses profissionais [guardas] e agora percebemos que fomos traídos. Por isso faremos mudanças na maneira de operar da Central”, comenta Barbieri. O vídeo para dar inicio às investigações foi entregue no final da tarde de ontem.

Invasão de privacidade pode gerar processo contra o poder público de Araraquara

As imagens divulgadas esta semana pela imprensa local e até nacional podem gerar processo criminal contra o poder público. De acordo com o advogado Tiago Romano, se a pessoa que tiver sua imagem exposta e se sentir prejudicada por isso, ela pode procurar a Justiça e denunciar.

“Nesse caso, a responsabilidade é sempre do órgão publico, pois ele é responsável pelo serviço prestado. Ele responderá tanto no âmbito civil como criminal”, ressalta.

Tiago explica ainda que as câmeras são importantes para a segurança do município, mas não podem invadir a privacidade das pessoas.

Quando a pessoa sai na via pública, ela sabe que esta sendo observada por câmeras e pela população em volta. “Você não pode fazer o uso indevido do equipamento que esta operando, isso é inerente à função publica. É por isso que o fato deve ser apurado, para saber o que realmente houve de irregular”, finaliza o advogado. (atualizado neste sábado, às 8h30)

Leia também:

Secretário de Segurança pede afastamento
Câmeras de segurança 'esquecem' bandidos e focam em decotes

  • Compartilhar:
  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Google
  • Yahoo
  • Windows
  • Digg
Participe
Participe AraraquaraCurta nossa Fan PageSiga nosso Twitter

Edição Digital

Edição Online