• Araraquara.com - O maior e melhor portal de informações e serviços da cidade e região

Comentário(s) - 1

Mercado de trabalho para 'sessentinhas' cresce 8%

Ministério do Trabalho aponta aumento de trabalhadores nessa faixa etária; em Araraquara, pelo menos 6 mil pessoas ocupam postos

16/02/2014 - 03:00

Araraquara.com - Raquel Santana

Alterar o tamanho da letra A+A-

Um alento para quem já passou dos 60 anos e precisa se manter competitivo no mercado do trabalho. Segundo a última pesquisa feita pelo Ministério do Trabalho, pelo menos 320 mil brasileiros foram recolocados em vagas formais com essa idade, um crescimento de cerca de 8%. E o número só tende a ascender.

O avanço da Medicina, o aumento da expectativa de vida do brasileiro de 70,6 para os homens e 77,7 para as mulheres segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), além das técnicas que protelam o envelhecimento, o conceito de terceira idade, hoje, mudou.

“Uma pessoa nesta idade talvez tenha dificuldades quanto a exercer força física, dependendo da função. No entanto, intelectualmente está mais preparada, desde que se atualize em sua profissão”, observa Edmilson de Oliveira Bueno, gerente do Ceat (Centro de Atendimento ao Trabalhador) de Araraquara.
Esse é o caso, por exemplo, de Oswaldo Abarca Miranda, 80 anos. Ele é um dos 6.361 trabalhadores araraquarenses acima de 60 anos que, depois da aposentadoria, voltou à ativa e ocupa um posto no mercado de trabalho local, de acordo com pesquisa do IBGE, de 2010.

Deivide Leme/Tribuna Impressa
Idosos continuam no mercado de trabalho

Aposentado há 15 anos, ele nem chegou a “pendurar as chuteiras”. Voltou a trabalhar logo em seguida por se considerar capaz e produtivo, apesar da idade. “Meu vizinho se aposentou cedo e, ao contrário de mim, não voltou a trabalhar. Está cheio de doenças, enquanto eu não pego nem gripe”, afirma.

Equilíbrio
Miranda, por exemplo, já foi padeiro e vendedor. Ao se aposentar, aos 65 anos, ainda se sentia produtivo. “Não fazia sentido ficar parado em casa. Enquanto Deus me der força, vou continuar trabalhando”, afirma.
Ele trabalha numa loja de artigos para carros. Teve de aprender tudo de novo. “Isso mantém a cabeça da gente ativa”, afirma.

A contratação de alguém mais experiente, segundo o colega de Miranda, Alan Comin, 24 anos, trouxe mais equilíbrio ao ambiente de trabalho da loja. “É um exemplo. Se ele pode, todos nós podemos ser produtivos nessa idade”, observa. “Assim como ele, pretendo continuar trabalhando até mais velho”, conclui. 

  • Compartilhar:
  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Google
  • Yahoo
  • Windows
  • Digg
Participe
Participe AraraquaraCurta nossa Fan PageSiga nosso Twitter

Edição Digital

Edição Online